• INO Nutrição

Perda de peso no paciente com câncer de cabeça e pescoço

Atualizado: Out 20

A perda de peso no paciente com câncer de cabeça e pescoço pode ser influenciada por fatores além da falta de apetite e do aumento do gasto energético pela doença, seja em decorrência do tumor ou pelo tratamento. Um exemplo é a radioterapia de cabeça e pescoço, que ocasiona feridas na boca, reduz a ingestão alimentar e leva à perda de peso em até 80% dos pacientes.


Em grande parte dos casos, há dificuldade e dor tanto para mastigar quanto para deglutir os alimentos. Com isso, o paciente diminui a quantidade de alimentos habitualmente ingeridos e altera a consistência da dieta, reduzindo drasticamente seu consumo de calorias, proteínas e nutrientes.



Quando procurar um nutricionista oncológico


Essa redução na ingestão alimentar torna-se preocupante quando o paciente passa a não conseguir comer nem 60% das suas necessidades nutricionais diárias ou quando esse déficit calórico é parcial, mas dura muito tempo.


Consequências

As consequências da perda de peso são vistas principalmente na tolerância ao tratamento e na qualidade de vida, com redução na funcionalidade do paciente, ou seja, na capacidade para desenvolver suas funções habituais e pessoais.


Recomendações


É recomendado que todos esses pacientes tenham um acompanhamento nutricional para avaliação da ingestão alimentar, acompanhamento do peso corporal, controle dos sintomas apresentados que influenciam na alimentação e possíveis adaptações na dieta . Caso a alimentação via oral não seja suficiente ou esteja impossibilitada, é indicada uma via alterativa para alimentação, como a passagem de um cateter nasoenteral ou a realização de gastro/jejunostomia para alimentação.


As diretrizes de atendimento nutricional recomendam, inclusive, que o acompanhamento seja realizado semanalmente durante o tratamento radioterápico em região de cabeça e pescoço, por pelo menos 6 semanas.


O acompanhamento nutricional pode melhorar os resultados clínicos, além de melhorar a qualidade de vida do paciente. Muitas situações que se tornam difíceis com relação a alimentação podem ser orientadas pelo nutricionista oncológico, que conhece formas para aliviar sintomas nutricionais e para adaptar a dieta conforme melhor tolerância do paciente.


Caso você já esteja em tratamento ou irá iniciar um, procure uma nutricionista oncológica para te auxiliar durante esse processo.


Referências:

BRASPEN J 2019; 34(1):2-32

Clinical Nutrition 2017; 36:11-48

13 visualizações

Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 19h

 Rua Itapeva, 240. Sala 301 - Ed. Itapeva Medical Center. Bela Vista, São Paulo (SP) 

©Instituto de Nutrição e Oncologia 2020 - Todos os direitos reservados