• INO Nutrição

Níveis de processamento dos alimentos

Atualizado: há 4 dias


O processamento de alimentos diz respeito a sua transformação desde a colheita até o momento de seu consumo. É recomendado para pacientes oncológicos e para a prevenção do câncer que a base da alimentação das pessoas seja composta de alimentos in natura e alimentos minimamente processados. Além disso, vários estudos também apresentam que o consumo de alimentos ultraprocessados está relacionado com um maior risco de desenvolver câncer ao longo dos anos.

Por isso, é importante entender os níveis de processamento dos alimentos que estamos consumindo e, dessa forma, conseguir fazer escolhas melhores diariamente. O Guia Alimentar da População Brasileira nos ajuda a diferenciar o grau de processamento dos alimentos, que estão divididos em:


1) Alimentos in natura e minimamente processados

Os alimentos in natura são aqueles que não sofreram alteração após deixarem a natureza, são obtidos diretamente de plantas ou animais, como frutas, hortaliças e raízes. Já os minimamente processados, passam por alterações mínimas como remoção de partes não comestíveis, polimento, secagem de grãos, moagem, pasteurização ou congelamento – sem adição de outros ingredientes. Alguns exemplos desses alimentos são: cereais (arroz, trigo, aveia), leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico, ervilha), oleaginosas (castanha-do-brasil, castanha-de-caju, amêndoa, noz), leite UHT e proteínas animais.


2) Alimentos processados

Os alimentos processados apresentam a adição de sal, de açúcar ou de óleo. Eles são adicionados com o intuito de aumentar a conservação do alimento ou torná-lo mais palatável. Em excesso, esses componentes podem ser relacionados a alguns tipos de doenças crônicas não transmissíveis e câncer. Consideramos como alimentos processados: conservas em salmoura ou em solução de sal e vinagre, carnes adicionadas de sal e frutas preservadas em açúcar.

3) Alimentos ultraprocessados

Os alimentos ultraprocessados representam os alimentos com o maior nível de processamento pela indústria. Eles passam por várias etapas de preparação e possuem adição de ingredientes e produtos como conservantes, aromatizantes, corantes e estabilizantes. Esses alimentos apresentam pouco valor nutricional e grande oferta de calorias, sendo associados à obesidade e as suas complicações, entre elas o câncer. Os alimentos ultraprocessados são biscoitos recheados, balas, cereais matinais, refrigerantes, suco em pó, salgadinhos, macarrão e tempero instantâneos e embutidos. Uma dica para ajudar a identificá-los no mercado é ler a lista de ingredientes – normalmente não temos os ingredientes adicionados a esses produtos na nossa dispensa!


Para termos um padrão alimentar saudável, o mais indicado é o consumo de alimentos que não precisam ser desembalados, ou seja, desembalar menos e descascar mais. Ler a lista de ingredientes dos alimentos presentes nos rótulos e saber o que consumimos significa fazer melhores escolhas no dia a dia!



6 visualizações

Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 19h

 Rua Itapeva, 240. Sala 301 - Ed. Itapeva Medical Center. Bela Vista, São Paulo (SP) 

©Instituto de Nutrição e Oncologia 2020 - Todos os direitos reservados