• INO Nutrição

Alimentos proteicos de origem vegetal

Atualizado: Out 20


O paciente oncológico precisa consumir, em geral, mais proteína em seu dia a dia do que outras pessoas. A necessidade desse consumo varia de acordo com alguns aspectos, tais como: a programação terapêutica, estado nutricional prévio e presença de complicações ou comorbidades.


Contudo, há alguns casos em que a tolerância às proteínas de origem animal pode estar reduzida e o paladar alterado (como no post sobre gosto metálico), o que pode causar uma diminuição na ingestão proteica. Com isso, é importante conhecer outras fontes que, além de fornecerem proteína, apresentam fibras e fitoquímicos.



Confira a lista abaixo:



Lentilha: além de cozinhar rápido, pode ser consumida apenas cozida, como salada, caldo, bolinho ou germinada. Sete colheres de sopa de lentilha substituem 1 bife grelhado (64 g);




Grão de bico: habitualmente consumido cozido ou assado, como salada, sopa ou como um delicioso Homus (pasta de grão de bico). Um pouco mais que 5 colheres de sopa equivalem à 4 pedaços pequenos de carne cozida (80 g);




Feijão: prato típico brasileiro, presente no nosso dia a dia. Sete colheres de sopa equivalem à 2 unidades de espetinho de carne (92 g);




Ervilha: muitas vezes ela é adicionada às preparações como complemento. Mas não se limite a isso! Outras formas de consumo são em cremes, sopas ou bolinho.

Aproximadamente 9 colheres de sopa de ervilha seca cozida correspondem à 100 g de filé de frango grelhado;




Soja: pode ser encontrada na forma de tofu, proteína texturizada ou grão. Um pouco mais que 5 colheres de sopa de soja cozida substituem 3 colheres e meia de carne moída refogada (63 g).




Oleaginosas: castanha-do-Brasil, castanha-de-caju, amêndoa, noz e amendoim também possuem uma boa quantidade de proteínas, sendo interessante acrescentá-las nos lanches intermediários, junto com frutas, por exemplo.


A melhor forma de se obter uma boa quantidade de proteínas de origem vegetal é fazer a combinação de diferentes grupos de alimentos, como cereais (arroz, milho, aveia, trigo) com leguminosas e ser criativo nas receitas!



[Dica da nutricionista]

Para melhorar a digestibilidade das leguminosas e a absorção dos nutrientes, antes de cozinhar os grãos, deixe-os de molho em água por pelo menos 8 horas e, se possível, troque a água na metade do processo. Quando for preparar, lembre-se de descartar esta água e dar uma boa lavada nos grãos.

Agende sua consulta


Referências:

Prado CM, Purcell SA, Laviano A. Nutrition interventions to treat low muscle mass in cancer. J Cachexia, Sarcopenia Muscle. 2020;11:366–80.

Slywitch E. Nutrição Vegetariana. Sociedade Vegetariana Brasileira. 2018.

Sociedade Vegetariana Brasileira. Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos. 2018.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva / Ministério da Saúde. Consenso Nacional de Nutrição Oncológica. 2015.

26 visualizações

Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 19h

 Rua Itapeva, 240. Sala 301 - Ed. Itapeva Medical Center. Bela Vista, São Paulo (SP) 

©Instituto de Nutrição e Oncologia 2020 - Todos os direitos reservados