• INO Nutrição

Câncer hereditário e alimentação: tem relação?

O câncer hereditário é aquele proveniente de uma mutação hereditária, ou seja, herdada de um ou dos dois pais. Estes cânceres hoje são responsáveis por aproximadamente 5% dos casos de câncer no mundo. Apesar da mutação herdada, ela não é uma sentença para o desenvolvimento do câncer e, sim, um aumento da chance.

Nestes casos, as pessoas identificadas com essas mutações e sem a manifestação da doença devem fazer exames e acompanhamento para rastreio de determinados tipos de câncer.

A Síndrome de Li-Fraumeni é outra síndrome hereditária relacionada ao aumento da incidência de cânceres em vários locais pela mutação na proteína p53, umas das principais responsáveis por controlar o ciclo celular da célula. Um estudo associou a cúrcuma e o resveratrol como possíveis moduladores de proliferação celular em pacientes com mutação nesta proteína.


Para casos em que ocorre mutações no gene BRCA – relacionado com aumento de risco para cânceres de mama e ovário – é recomendado que a prevenção seja feita a partir das seguintes medidas: manter um peso saudável, consumir o mínimo possível de bebida alcoólica, não fumar e manter uma atividade física regular.


Estamos atualmente começando a entender o real papel e impacto da nutrição e da alimentação para a diminuição do risco de desenvolvimento de câncer em casos hereditários. Até termos mais respostas, estes estudos são observacionais e isso deve ser levado em consideração. Apesar disso, manter um estilo de vida saudável além de poder prevenir contra esse tipo de câncer nestes pacientes, também colabora com a diminuição de risco para outras doenças, trazendo somente benefícios para a pessoa que adere a essas recomendações.



Referências:

Liontas & Yeger Anticancer Research 2004

Giacomazzi et al. Rev Assoc Med Bras 2015

Lammert et al. Breast Care 2018

Aussem & Ludwig et al. Nutrition and Cancer 2021

7 visualizações0 comentário